Governo escala time de assessores para atuar na Assembleia

Nos dias de sessão plenária na Assembleia Legislativa, o expediente começa antes de o sol nascer. Para garantir tempo de fala no primeiro expediente, deputados chegam à Casa às 5h. Para além do interesse dos parlamentares de garantir espaço para se pronunciar, há uma grande estratégia do Governo do Estado para garantir a hegemonia nas discussões na Casa, promovendo até mesmo um revezamento de parlamentares para o sacrifício de madrugar na porta do Poder Legislativo.

No intuito de garantir o completo acompanhamento de tudo que está acontecendo na Assembleia e munir os deputados da ampla base aliada – 38 membros no total – de todas as informações para as respostas a possíveis questionamentos, o Executivo escala um time de assessores de relações institucionais e governamentais (técnicos jurídicos, especialistas legislativos e jornalistas) que estão no dia a dia da Casa colhendo informações, fazendo relatórios, fornecendo dados positivos da gestão e até mesmo traçando um perfil da base aliada – e da oposição – para gerar os resultados esperados pelo Governo.

A equipe, sob a coordenação do assessor especial de Relações Institucionais, Nelson Martins, tem um estudo completo sobre todos os parlamentares, que inclui as bandeiras dos mandatos, bases eleitorais, perfis parlamentares e atuação na Casa, para facilitar a atuação no momento em que o Executivo precisa agir para ter demandas atendidas. A Assessoria está sob o guarda-chuva da Casa Civil, após reforma administrativa.

Municípios

A estratégia é parte das ações do Governo Camilo Santana para manter a ampla base de apoio no Legislativo e se estende à relação com os diversos municípios do Estado, inclusive Fortaleza. O Palácio da Abolição mantém membro desse time também na Câmara Municipal da Capital.

As engrenagens e os anseios governamentais funcionam, muitas vezes, em um ritmo diferente ao desejado no Parlamento Estadual. Há casos em que é preciso lançar mão do amplo apoio para acelerar tramitações na Casa. E o Governo impõe a pauta. Nelson Martins, o escolhido para a missão, sabe bem como funcionam essas relações. Já foi líder do primeiro Governo de Cid Gomes na Assembleia Legislativa, antes mesmo da formação da estrutura de suporte que foi criada já na atual gestão.

“Temos que compreender que a Assembleia é um espaço importante porque os deputados têm uma representação política legitimada pelo voto popular. E depois, todas as principais decisões de programas e projetos passam, obrigatoriamente, pelo Legislativo”, diz o assessor, que tem status de secretário, ao reforçar que faz um trabalho “permanente de articulação”.

O trabalho da equipe envolve acompanhamento das sessões legislativas, sugestões de temas (informação e notícias para deputados e suas assessorias), respostas rápidas para eventuais críticas, acompanhamento e divulgação de mensagens e projetos desde a tramitação até a aprovação das matérias, além do monitoramento de publicações nos meios de comunicação e atendimento à imprensa no que diz respeito às relações institucionais.

Auxílio

Líder do Governo na Assembleia, o deputado Júlio César Filho (PPS) mantém reuniões periódicas com a equipe da Assessoria de Relações Institucionais. “Os profissionais atuam aqui junto conosco no gabinete da Liderança, e o trabalho é de auxiliar os parlamentares e as categorias que nos procuram. A ‘SRI’ busca atender também às demandas dos deputados às secretarias de Governo”, diz ele.

Uma visita ao Palácio da Abolição revela o trânsito intenso de deputados, ex-deputados e prefeitos que chegam a fazer fila para serem atendidos. O cenário dá a dimensão da dor de cabeça do governador Camilo Santana para contemplar tantos aliados.

Para Júlio César, a equipe que atua no Parlamento chega para dar suporte aos deputados, complementando o trabalho da liderança. Questionado se a chegada de membros do Governo não poderia parecer aos parlamentares da base uma interferência na atuação legislativa, ele nega. “Até o momento, não há reclamações. Pelo contrário, eles procuram a equipe da ‘SRI’ para buscar informações. É um trabalho complementar à liderança do Governo. Como a base é muito ampla, isso se tornou muito importante”.

Na Câmara

Membros da equipe governamental também estão no dia a dia da Câmara Municipal de Fortaleza. O objetivo é o mesmo, embora em menor proporção. Há monitoramento dos assuntos que dizem respeito ao Estado no Executivo Municipal e o fornecimento de informações da gestão estadual aos vereadores.

Segundo Nelson Martins, em reunião recente, ficou acertado que o vereador Guilherme Sampaio (PT) é o indicado pelo Governo a fazer a defesa da gestão estadual nos casos necessários. O parlamentar foi líder do Governo Luizianne Lins (PT) na Câmara e faz oposição ao prefeito Roberto Cláudio (PDT).

 

Via Diário do Nordeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *