Expectativa é de chuva abaixo da média para região Sul e acima para o Norte do Estado

O Ceará deve registrar precipitação dentro da média nos próximos três meses, principal período da quadra chuvosa
Prognóstico apresentado nesta sexta-feira, 18, pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) traça uma perspectiva de chuvas acima da média para a região Norte do Estado. No entanto, para a região Sul, parte mais baixa do território cearense, a expectativa é que a incidência de precipitações fique abaixo da média histórica. Para 2019, o parecer técnico prospecta chuvas dentro da média para todo o Ceará.
 
O açude Trussu, localizado no município de Iguatu, principal polo econômico do Centro-Sul do Estado, conta apenas com 4,04% da sua capacidade ocupado. A situação da área é uma das que mais tem preocupado os gestores no Estado. De acordo com o secretário de Recursos Hídricos do Ceará, Francisco Teixeira, há estudos em andamento para analisar a água subterrânea da Região. Caso se confirme o prognóstico, o abastecimento da região será feito com água advindas de poços. A experiência já foi utilizada no passado em Iguatu. 
 
Atualmente, pelo menos, sete municípios são abastecidos por água oriunda de poços, localizados desde o Vale do Jaguaribe até a foz, são: Aracati, Fortim, Itaiçaba, Palhano, Jaguaruana e Russas. Estas regiões eram carregadas pelas águas do açude Castanhão, maior reservatório do Estado, hoje com apenas 2% da capacidade de armazenamento. Mombaça, por exemplo, é abastecida há três anos apenas por poços. 
 
“A gente busca outras alternativas caso as chuvas não sejam suficientes para permitir o aporte para, pelo menos, as cidades atravessarem o ano. Como a tendência é de chuva dentro da média, não teremos aportes tão significativos, mas pelo menos (suficientes) para atravessar o ano”, frisou Teixeira. A expectativa é que as águas da transposição do Rio São Francisco cheguem no Ceará entre os próximos meses de abril e maio.
 
O prognóstico é válido para os meses de fevereiro, março e abril deste ano. Os três primeiros meses são os mais importantes da quadra chuvosa, que termina em maio. O anúncio do prognóstico foi apresentado pelo presidente da Funceme, Eduardo Sávio.  Os secretários Élcio Batista, da Casa Civil, e Francisco Teixeira, do Recursos Hidrícos, acompanharam a divulgação. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *