Camilo enaltece ação da Polícia em Milagres e questiona se vítimas eram mesmo reféns

“É estranho um refém de madrugada em um banco”, declarou Camilo Santana, que disse que a Polícia cumpriu a missão de evitar o assalto a dois bancos.

O governador Camilo Santana (PT) enalteceu a ação da Polícia Militar que resultou em 14 mortos no município de Milagres, sendo oito bandidos e seis reféns, na madrugada desta sexta-feira (7), ao frustrar ataque a banco. “O fato é que eles estavam preparados para assaltarem dois bancos e não conseguiram assaltar nenhum”, declarou o petista, em entrevista coletiva na tarde desta sexta, em Fortaleza.

Na entrevista, o governador levantou a hipótese de que as vítimas não fossem reféns, e disse que é necessário aguardar as investigações antes que seja feito algum julgamento do trabalho policial. “É estranho um refém de madrugada em um banco”, questionou Camilo.

Ouça as declarações do governador Camilo Santana:

Em nota oficial mais cedo, porém, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS) reconheceu que seis reféns foram mortos na operação policial. Nenhum nome foi divulgado, nem das vítimas e nem dos criminosos.

Conforme o Tribuna do Ceará apurou, o empresário João Batista de Sousa Magalhães, de 46 anos, e seu filho, Vinícius Magalhães, 14 anos, vieram até o Ceará para buscar parentes no aeroporto de Juazeiro do Norte. Eles estavam voltando de carro para Pernambuco junto com um casal e seu filho, após desembarcarem de um voo vindo de São Paulo.

Tribuna do Ceará não conseguiu confirmar os nomes das três últimas vítimas, e nem o do sexto refém morto, que seria o motorista de Brejo Santo, no Ceará, que teve o caminhão utilizado para bloquear a via de acesso a Milagres no ataque aos bancos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *