Ciro Gomes é lançado oficialmente como candidato à Presidência da República pelo PDT

Nesta quarta-feira (20), por aclamação e sem votos contrários, o PDT aprovou em convenção nacional a escolha de Ciro Gomes como candidato à Presidência da República. O evento foi em Brasília, na sede do partido, com a presença dos pré-candidatos aos governos estaduais e das lideranças da sigla.

No discurso após a homologação de sua candidatura ao Palácio do Planalto, Ciro chamou atenção para dois déficits vividos pelo Brasil no atual momento: um financeiro e outro social. “No ciclo vicioso da incompetência, do oportunismo e da bandidagem, tenta-se sempre corrigir um agravando o outro. Sem falar do agravamento do déficit moral, que contamina historicamente as nossas relações políticas. Somos vítimas, mais do que nunca, da falta de vergonha, do roubo e da exploração da pobreza, dosados pela insensibilidade e mediocridade de uma classe dirigente inescrupulosa e incapaz”, disse.

Ciro defendeu a união do país, criticou duramente o presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ex-presidente Lula (PT), equiparando os dois; afirmou que eles estimulam o que chamou de “polarização vulgar personalista e odienta reduzindo tudo a uma trágica disputa pessoal”. E ressaltou que o brasileiro está disposto a lutar pela democracia. Ele afirmou que o Brasil precisa voltar a crescer para garantir ao povo acesso à saúde e educação de qualidade e à geração de emprego.

Ex-ministro da Fazenda e ex-governador do Ceará, Ciro vai disputar o Palácio do Planalto pela quarta vez. Embora não tenha chegado ao segundo turno nas últimas três tentativas (1998, 2002 e 2018), registrou o melhor desempenho no último pleito, com pouco mais de 13,3 milhões de votos. Agora, ele tenta se vender ao eleitorado como uma alternativa à polarização entre Bolsonaro e Lula.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.