Com estádio sem laudos, Quixadá FC deve ficar de fora do Campeonato Cearense de 2022

O Quixadá Futebol Clube mais uma vez não deve jogar diante de sua torcida e corre grande risco de não disputar uma competição em 2022. Segundo a Federação Cearense de Futebol (FCF), o estádio José Antônio Abílio de Lima — Abilhão — não teve seus laudos liberados e segue inapto para receber jogos do Campeonato Cearense. A terceira divisão do certame tem previsão para se iniciar no mês de julho.

Em entrevista a Luis Lopes, do Jornal do Ceará, o presidente de honra do Quixadá, Valmir Araújo, afirma que os laudos do Corpo de Bombeiros, Vigilância Sanitária e da Polícia Militar do Estado do Ceará (PMCE) não foram aprovados. O clube tem apenas o parecer técnico do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Ceará (Crea-CE).

Valmir Araújo disse esperar uma atitude da Prefeitura Municipal de Quixadá para tentar reverter a atual situação do Canarinho do Sertão. No ano passado, o presidente de honra do clube relembra que o time teve que jogar no Estádio José de Oliveira Bandeira, o Bandeirão, localizado no município de Limoeiro do Norte, que fica a cerca de 120 km da Terra dos Monólitos. Conforme Valmir Araújo, mesmo jogando longe de casa, o time não teve apoio da gestão do prefeito Ricardo Silveira (PSD).

A última vez que o chefe do Executivo municipal procurou informações sobre o clube foi na visita do presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), em março, quando Ricardo Silveira pediu duas camisas para entregar ao mandatário. Infelizmente, assim como o esporte quixadaense em geral, a gestão do prefeito trata o clube de futebol da cidade com descaso.

Confira a entrevista:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.