Em entrevista exclusiva, Capitão Wagner afirma que seu sonho é enfrentar um Ferreira Gomes em 2022

Na tarde desta terça-feira (14), o deputado federal Capitão Wagner (Pros) concedeu entrevista ao radialista Luis Lopes, na Rádio Progresso de Russas. Ao comunicador, o parlamentar falou de uma possível desistência de concorrer ao Governo do Ceará em 2022, sobre sua ida ao partido que sairá da fusão do PSL e DEM, dentre outros assuntos.

“A previsão é que PSL e DEM realmente possam se fundir. O anúncio, inclusive, dessa fusão é previsto para a próxima semana, provavelmente no dia 21 teremos o anúncio. E teremos, a partir da fusão, o maior partido do Brasil. O PSL é o segundo maior partido do Brasil, o DEM é um partido de médio porte e a junção dos dois fortalece essa nova legenda. Ainda não tem a definição de que número será utilizado, de qual será o nome desse novo partido, mas as especulações aqui nos bastidores é que de fato essa fusão possa ocorrer. Como a gente tinha e tem conversas avançadas em relação ao PSL, a gente aguarda com muita ansiedade que esse partido esteja na nossa base, esteja entre os nossos aliados no ano de 2022”, disse Capitão Wagner.

O deputado classificou como boato a notícia que ele teria desistido de sua pré-candidatura. “Esses boatos vão continuar existindo, logicamente alguns vem de fontes confiáveis e outros vem de adversários que vê o crescimento de nossa candidatura”, pontua.

Durante sua fala sobre nomes de concorrentes ao Palácio da Abolição, o deputado citou uma possível candidatura de Cid Gomes (PDT) e afirmou que seria esse seu desejo. “Meu sonho é que meu adversário fosse um Ferreira Gomes. O Cid, o Ivo, o Ciro ou qualquer um seria para mim muito bom fazer um embate com eles”, revela o parlamentar.

Capitão Wagner ainda lembra de novas pesquisas que poderão mostrar sua força, porém diz que os levantamentos de 2020 foram “claramente” fraudados ou seriam pesquisas “compradas”.

Ainda sobre a fusão de PSL e DEM, Wagner cita que, no Ceará, poderá ter o apoio de Fernanda Pessoa, Danilo Forte e muitos políticos do Partido Republicano da Ordem Social (Pros). Ele também afirma que conversa com Mayra Pinheiro, que deverá ser candidata a deputada federal, além de manter reuniões com os deputados Delegado Cavalcante e André Fernandes.

“Hoje nós temos o Republicanos, deve ter o PSL junto com o DEM, temos o Pros, o PTB, o Avante, PSC e também conversas bem avançadas com o MDB”, diz. “Nós temos conversado com o Eunício Oliveira para que a gente possa trazer o MDB para a nossa aliança”, revela o político.

Questionado sobre o emedebista apoiar a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Capitão Wagner diz que, apesar de ter um posicionamento diferente e acompanhar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o objetivo no Ceará é juntar todas as oposições contra a família Ferreira Gomes. “Estamos recebendo de braços abertos”, afirma.

Ouça a entrevista completa:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *