Moradora de Quixadá chora ao relatar descaso com a saúde municipal; sindicato dos médicos denuncia atraso de salários

A Prefeitura de Quixadá, no Sertão Central, vem colecionando nos últimos meses uma série de denúncias e descontentamento por parte da população em relação ao serviço ofertado na saúde pública. As reclamações são, em sua maioria, de descaso com os pacientes e a negativa de tratamento. Em alguns casos relatados no período de 2021, quixadaenses reclamam da falta de medicamentos básicos, sendo que em uma dessas situações foi preciso a Justiça ser acionada para que a gestão entregasse os remédios.


Nesta segunda-feira (6), uma cidadã chegou a chorar na FM Meio Norte 96,7 durante o programa Jornal do Ceará, na qual é apresentado pelo radialista Luis Lopes. A ouvinte entrou em contato com a emissora e desabafou sobre a situação triste da cidade.


“A minha mãe quebrou o braço e levaram para o hospital ontem. O médico botou só uma tela e não encaminhou ela para Quixeramobim, por causa que tem que passar pela Central. Ela tá na UPA se queimando de febre”, afirmou uma senhora. Conforme a mesma, sua mãe, que tem 88 anos, clama por uma vaga, tendo em vista que não pode esperar. “Ela não vai aguentar”, disse enquanto chorava no ar.

O caso chocante é mais um de vários que a equipe de jornalistas e radialistas recebe todos os dias. Os problemas são visíveis e as reclamações, é claro, são constantes. Pela cidade é possível encontrar obras paradas, como da Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro Carrascal e outra no Residencial Rachel de Queiroz. Obras paralisadas sem explicações e sem previsão de retomar com as atividades. Em localidades que existem UBS, porém, faltam médicos, principalmente na zona rural. Já nas unidades que não faltam os profissionais, no entanto, são disponibilizadas pouquíssimas fichas de atendimento e muitas pessoas ficam sem consulta.


Além disso, o Sindicato dos Médicos do Ceará revela que Quixadá está devendo salário aos profissionais de medicina. De 17 municípios pelo Estado, uma das cidades é a Terra dos Monólitos. O curioso é que Ricardo Silveira, prefeito de Quixadá, também é médico, ou seja, não tem valorizado sua própria categoria e seus colegas.


Outro nome importante para resolver tudo isso é da secretária de saúde de Quixadá, Benedita Oliveira, que, até o momento, não mostrou trabalho. Na vacinação, por exemplo, muitos reclamam da desorganização da pasta, que no inicio do ano foi motivo de piada em todo o país por causa de uma dose supostamente mal aplicada. Pessoas próximas a Benedita, consideram ela uma verdadeira decepção no comando da saúde do município e estranham sua ineficiência.

Ouça a participação da ouvinte:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *