Rádio da família do prefeito de Quixadá cobra da população, e não da prefeitura, por ajuda a rapaz na área da saúde. Entenda o caso

Uma situação inusitada aconteceu em Quixadá, no Sertão Central cearense. A cidade parece não ter prefeitura, gestão ou saúde públicas, muito menos prefeito ou algum responsável político -e quem disse isso indiretamente foi justamente a Rádio e o blog de notícias da família do prefeito.

Recentemente, o blog da família do prefeito Ricardo Silveira veiculou uma matéria de apelo social, contando a história de um rapaz que precisa de um atendimento médico especializado. O jovem sofre de problemas que só podem ser acompanhados por um gastroenterologista, médico com formação no cuidado na área do trato e sistema digestivo. A matéria conta a situação em tom de denúncia social, porém, fala com o leitor e não cobra das autoridades competentes do município uma ação.

Pouco após a publicação, durante um programa em uma Rádio também comandada por familiares do prefeito Ricardo, o apresentador voltou a falar sobre o caso indo além: o mesmo pediu que a sociedade quixadaense se mobilizasse em prol do rapaz e o ajudasse. Sim, matérias de tom social, com campanhas em acordo com a sociedade são comuns, porém o fato curioso é, nem na matéria escrita, nem no programa na Rádio, foi sequer citada a secretaria de Saúde do município ou cobrada uma ação da prefeitura.

Os veículos de comunicação do prefeito, que durante tanto tempo em outras gestões viviam de criticar e cobrar efusivamente de antigos gestores, agora esqueceram que quem deve assegurar a segurança, educação, mobilidade e, nesse caso, saúde dos quixadaenses, é a prefeitura e a chancela desse poder em Quixadá está nas mãos do dono do blog e da Rádio. Cobrar do já tão sofrido povo por uma ação que deve ser puxada pelo poder público é demais e, no mínimo, hipocrisia.

Tanto a matéria como a indignação vistas no Rádio surtiram críticas, não a situação do jovem que merece toda atenção da Saúde municipal, mas sim pelo trato e como foi noticiada, prezando pela ajuda popular e não da prefeitura. É como se esquecessem o papel da imprensa de mostrar as falhas e cobrar pela melhoria delas, doa aa quem doer, mesmo que esse seja um familiar dos donos.

Por não compactuarmos com a situação e questões de direitos de imagem, não iremos reproduzir os trechos do programa, mas a equipe do Jornal do Ceará se solidariza com o jovem e cobra, sim, da gestão municipal, uma ação rápida e assertiva para o caso em questão e tantos outros ocorridos na terra dos monólitos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *