Luto na radiofonia cearense: morre Rodrião Muniz

O radio jornalismo do Ceará perde uma figura ímpar. Morreu, aos 66 anos, o histórico radialista Rodrião Muniz. A notícia foi confirmada na sexta, 28, por volta das 22h. O comunicador que por anos representou por sua voz o jornalismo sertanejo lutava contra um câncer que, infelizmente, de forma feroz, já se espalhava pelo pâncreas, fígado e pulmões.

Rodrião vinha realizando um tratamento, mas dada a agressividade do câncer, acabou ficando debilitado e chegou a ser internado em Barbalha. Ele residia, nos últimos anos, no Crato. Uma campanha chegou a ser construída pela Associação de Imprensa do Sertão Central, AISC, junto a todos os principais veículos de comunicação da região. Radialistas de todas as emissoras superaram desavenças antigas em prol da arrecadação de recursos para custear o tratamento e os medicamentos de Muniz, como noticiamos no Jornal do Ceará. Nos últimos dias, porém, o quadro de saúde do radialista acabou se agravando e tornou-se irreversível.

Rodrião Muniz foi um dos precursores do rádio jornalismo na terra dos monólitos e em todo o Sertão Central. Nos anos de 1990 participou da fundação e comandou primeiro a direção do departamento de jornalismo da Rádio Cultura. Passou ainda por outras emissoras em Quixadá, como a extinta Rádio Monólitos e a Meio Norte FM. Seu trabalho, reconhecido pelo povo, criou uma legião de fãs na região. Com passagens também pelo Cariri e Vale do Jaguaribe, Muniz chegou a trabalhar na Rádio Progresso, em Russas, ao lado de seu grande amigo Luis Lopes. Foi Rodrião quem deu as primeiras oportunidades para Luis ingressar na radiofonia.

Deixamos aqui, em nome da equipe do Jornal do Ceará, nossas orações e condolências aos familiares e aos amigos, e, em especial, nosso ‘Muito Obrigado‘ ao homem singular que foi Rodrião Muniz.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.