CPI da Covid: Omar Aziz chama Girão de “oportunista”. Ceará tem dois senadores na comissão

O clima ficou ainda mais tenso na Comissão Parlamentar de Inquérito, CPI, que averigua a condução do enfrentamento a pandemia do novo Coronavírus nesta quarta-feira, 26. O presidente da Comissão, senador Omar Aziz, não conteve os ânimos após falas do senador cearense Eduardo Girão.

O presidente proferiu falas de indignação com cobranças do senador governista e o de “oportunista” e “sorrateiro”, após o Girão novamente perguntar sobre a convocação de prefeitos. Antes da sessão, senadores, de oposição e situação, se reuniram para selar acordo em relação aos convocados e muitos divergiram durante a votação.

“Vossa excelência é um oportunista. Um oportunista pequeno. Estava lá e sabe o que acordamos […] não entende patavinas de saúde e fica indicando cloroquina. O senhor é um oportunista”, acrescentou Omar

O cearense minimizou as críticas, disse que respeitava Aziz e que ele estava sob pressão. “O senhor está sendo pressionado pela população brasileira, que quer toda a verdade. O senhor só quer uma parte da verdade”, afirmou Girão.

“Vossa excelência não respeita ninguém. O senhor age sorrateiramente”, rebateu o presidente da CPI. O colegiado analisava a convocação de governadores e a reconvocação do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e do ex-ministro Eduardo Pazuello. Ambos foram reconvocados a depor, após falas de técnicos da Anvisa, do gerente da Pfizer e da secretária do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro.

O Ceará é o único estado que tem dois senadores compondo a comissão -Girão e o tucano Tasso- e eles estão em trincheiras distintas: Eduardo Girão, senador governista de situação, defende sempre que tem chance o presidente Bolsonaro; Tasso Jereissati, na oposição, questiona a respeito dos desmandos na pandemia e a falta de vacinas.

Com informações do portal Metrópoles

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.