Universidades públicas anunciam paralisação nesta quarta, 19, pelo ‘Dia Nacional de Luta’

Docentes de diversas universidade públicas cearenses anunciaram que irão suspender as atividades -remotas e presenciais- a partir desta quarta-feira, 19, engrossando o movimento do Dia Nacional de Luta pela Educação. Entre as pautas nacionais, estão as questões que estão sendo discutidas no Congresso Nacional através da PL 5595/2020, que pretende tornar a Educação um serviço essencial, e da PEC 32, a reforma administrativa de Paulo Guedes. Em Quixadá, FECLESC, campus avençado da Universidade Estadual do Ceará no sertão central, Universidade Federal do Ceará e o Instituto Federal aderiram ao movimento e já suspenderam aulas no início desta manhã.

Professores conversaram com alunos sobre o movimento nesta manhã, que está sendo encabeçado no estado pelo SINDUECE, após deliberação em assembleia realizada na última semana. O ingresso da categoria atende a indicativa do ANDES-SN, o Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior.

Acompanhe a nota divulgada pelo Sindicato dos docentes da UECE na íntegra abaixo:

Durante assembleia realizada na última quinta (13), professores e professoras da UECE aprovaram a indicativa do ANDES-SN para paralisar nesta quarta-feira (19) e integrar o Dia Nacional de Luta – A Educação Precisa Resistir. O movimento conta com a participação de centenas de entidades em todo o país contra a retirada de direitos e os cortes bilionários no orçamento perpetrados pelo governo federal e em tramitação no Congresso Nacional. Para a data estão sendo marcadas mobilizações contra o texto do PL 5595/2020, que pretende tornar a Educação um serviço essencial, e da PEC 32, que prevê a destruição do serviço público.

Para não esquecer também os ataques do governador Camilo Santana aos direitos dos trabalhadores no Ceará, a categoria decidiu ainda em assembleia ampliar a pauta com reivindicações locais: valorização docente com respeito ao Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos, reposição das perdas de 30% nos salários, concurso para professores efetivos e reabertura da Mesa Estadual de Negociação Permanente com os servidores públicos.

Em respeito às medidas de distanciamento social para enfrentamento à pandemia, a SINDUECE organizou uma programação que inclui realização de lives, projeções de material audiovisual, além da divulgação de faixas, adesivos e spots de rádio. Neste dia não haverá realização de aulas em caráter remoto e os discentes também estão convidados a integrar a jornada de lutas em defesa da Educação.

Em meio a tantos e graves ataques que a Educação Pública está sofrendo no Brasil e no Ceará, convocamos toda a categoria docente e aqueles que militam em defesa do direito à Educação a reforçar a agenda de mobilização.

A mobilização nacional tem objetivos abrangentes, e a estadual, questões pautadas em divergências com o governo Camilo Santana, como a disputa pelo respeito integral ao PCC da educação no estado, além de mais concursos públicos para a categoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *