3º dia de lockdown em Quixadá: veja como está a situação epidemiológica do município

Desde domingo, dia 16, a cidade de Quixadá se encontra em lockdown. A medida foi necessária dada a gravidade e descontrole no número de transmissão, casos e óbitos decorrentes da Covid-19. No domingo, a calmaria no município já não era novidade, afinal de contas, o último dia de fim de semana sempre gera pouco movimento no centro, então o decreto quixadaense seria posto em prova realmente na segunda-feira, 17. No primeiro dia útil da semana, a cidade viu seu centro quase que deserto. Imagens divulgadas pela prefeitura local mostraram um baixíssimo movimento no centro comercial e em alguns pontos estratégicos da terra dos monólitos. Como o lockdown imposto pelo poder público é total, até os supermercados fecharam suas portas.

Comerciantes e varejistas da cidade protestaram contra a medida e chegaram a entrar na justiça, pedindo o direito de abrir mercantis baseados em um decreto-lei sancionado pelo ex-presidente Michel Temer, entre 2016 e 2017 que incluiu os supermercados como atividade essencial. A ação judicial foi negada; o Pinheiro Supermercado da cidade estendeu uma faixa contra a decisão do prefeito. No ano passado, quando a cidade enfrentou a primeira onda da doença, não houve necessidade de fechamento total, dadas as medidas que foram tomadas a tempo e a integridade com a qual foram cumpridas. Nesse ano, porém, a nova gestão não obteve o mesmo sucesso já que não fiscalizou quando devia e não fez cumprir os decretos do governo estadual em tempo hábil a impedir um colapso na saúde quixadaense.

A COVID-19 NA CIDADE

Em Quixadá, apesar das várias tentativas fracassadas de enfrentamento a pandemia por parte da prefeitura, os números da doença viral no município assustam e causam estragos em toda a região do Sertão Central. Os casos confirmado na cidade chegaram aos 7 mil e setecentos, com outros 480 suspeitos, de acordo com a plataforma estadual do IntegraSUS; os óbitos cresceram em 3 nas últimas 24h, fazendo o total da cidade ir a desoladores 148; em casos ativos da doença, são 679. O crescimento galopante dos casos, mesmo enquanto o Ceará estava em lockdown e agora, posteriormente, preocuparam o governador Camilo Santana e populares quixadaenses, que pediram intervenção do estado na saúde do município. O decreto de lockdown assinado pelo prefeito Ricardo Silveira tem duração inicial até o próximo domingo, 23, autoridades, porém, destacaram que o ideal seria a prolongação do isolamento social, já que o vírus tem um ciclo de atividade de 14 dias, o dobro do estipulado de isolamento no decreto, ou seja, os efeitos do momento só serão sentidos, ao menos, daqui a uma semana e meia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *