Pesquisa reafirma polarização entre Bolsonaro e Lula para 2022

Mais uma pesquisa com possíveis cenários eleitorais para 2022 foi publicada na última semana; nela, é possível constatar a cada vez mais sólida polarização entre o atual presidente da República, Jair Bolsonaro, e o ex-presidente Lula. Ambos os candidatos tem apoio majoritário dos eleitores no primeiro turno, possuem intenção de voto similar no 2º e taxas de rejeição parecidas. Acompanhe os detalhes da pesquisa exclusiva encomendada pela Revista Veja ao Instituto Paraná Pesquisas.

A pesquisa mostra o presidente Jair Bolsonaro à frente numericamente em todos os cenários de primeiro turno e vencendo todos os adversários por curtas vantagens no segundo. A resiliência eleitoral de Bolsonaro, que girava em torno dos 35% em 1º turno e superior a 42% no 2º, no entanto, começou a dar sinais de erosão à medida que seu governo demonstra imensa incompetência em meio à crise do coronavírus. O presidente perdeu votos em todos os cenários de disputa direta contra alguns dos principais rivais entre julho de 2020 e maio de 2021, conforme pesquisas realizadas à época. 

Nos números, o segundo turno contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, reabilitado politicamente pelo Supremo Tribunal Federal, tem uma disputa acirrada, com vantagem para o atual mandatário do país: Bolsonaro leva vantagem numérica, 42,5% a 39,8%, em um empate técnico dentro da margem de erro da pesquisa -esse número já foi maior: até poucos meses, o presidente tinha 9 pontos de vantagem sobre o petista. Contra João Doria, governador de São Paulo, Bolsonaro viu sua vantagem cair de 28 para 11 pontos, ficando em 42,6% a 31,3%; já contra Ciro Gomes, o presidente também perdeu pontos, vendo sua diferença ir de 17 para 8 pontos, com 43,4% a 35,3%.

Lula, em cenários contra o governador João Doria e Ciro Gomes, em 2º turno, leva vantagem: contra o primeiro, vence por 41,5% a 23,9%; já contra o ex-governador cearense, ganha com 38,6% contra 28,1%. A tendência da polarização entre o petista e o atual presidente é notada em todas as pesquisas eleitorais lançadas, principalmente desde março, quando Lula readquiriu seus direitos políticos. Ambos os candidatos tem seu eleitorado cativo, o que os dá vantagem sobre os demais, que capengam tentando uma “3ª via”. Ciro Gomes, que tenta lançar seu nome como alternativa, viu sua intenção de votos cair dos dois dígitos que tinha para um empate técnico com outros possíveis candidatos, como Luciano Huck, o ex-ministro Moro e João Doria. O pedetista tem variado, nos cenários da pesquisa, entre 6,2% e 6,9% no 1º turno.

Com informações de Revista Veja

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.