Números que divergem: Pedro Baquit indaga diferença em dados apresentados por secretária de saúde e prefeitura de Quixadá

Há tempos existe um reclame na população pela transparência nos dados da pandemia do novo Coronavírus, e essa é uma pauta que deve ser discutida por todos os setores da sociedade. Em Quixadá não é diferente. Nos últimos dias inconstâncias tem sido notadas entre os dados apresentados pela gestão municipal e outros portais do governo, como o IntegraSUS. Nesse fim de semana, uma fala da secretária de saúde do município divergiu daquilo que a própria gestão fala e chamou a atenção de populares, entre eles Pedro Baquit, presidente do PDT de Quixadá.

Pedro, que é ex-presidente da Câmara de vereadores da cidade, já foi secretário municipal e candidato a vice prefeito, questionou a fala da secretária Benedita Oliveira, após a decretação do lockdown feita pelo prefeito Ricardo Silveira na última sexta-feira, 23. Ele comparou os dados apresentados pela gestora da saúde municipal em uma reportagem e aqueles que são atualizados pelo boletim epidemiológico da prefeitura.

Na fala da secretária, há a informação que o município tem 43 leitos de enfermarias com lotação máxima e que 9 dos 10 leitos de UTI, instalados no município pelo governo do estado, também estão ocupados. Pedro diz achar que nos números falados pela secretária não estão incluídos os de quixadaenses internados no Hospital Regional. No boletim que usou como referência, o da sexta, 23, dia de anuncio do decreto, a informação compartilhada a população sobre situação epidemiológica da cidade consta cerca de 20 pessoas internadas. O ex-parlamentar então indaga a secretária nominalmente, se, “[…] em 24 horas, a senhora transferiu esses 32 para outro local, eles receberam alta ou faleceram? Ou será que os quixadaenses não estão sendo informados da real situação?”. Ainda fica a questão sobre os leitos: na fala da secretária, haveria, em Quixadá, 70 leitos, dos quais 43 estão ocupados, porém essa não significa a “lotação”. Não questionamos a gravidade da doença ou o descontrole de transmissão na cidade, mas as falas desconexas dos gestores municipais, com “pontas soltas”, a omissão de detalhes e as tentativas antigas de ‘apaziguar’ uma situação que se agravaria tendo consciência do risco levantam dúvidas. Pedro encerra falando sobre os ‘casos notificados’:
“Até ontem eram 14.710, contudo, só temos 190 casos suspeitos, depois baixou pra 77, mesmo depois do Prefeito anunciar o LOCKDOWN pelo aumento de 400% nos casos positivos. ALGUÉM QUE ENTENDA DO ASSUNTO PODE NOS ESCLARECER MELHOR? UM PROFESSOR DE MATEMÁTICA, TALVEZ”
Veja as imagens, com a fala da secretária (grifo de Pedro) e a referência do boletim epidemiológico do município:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.