Quixadá: prefeito bolsonarista, com cidade em colapso, decreta lockdown e apreende mercadoria de ambulantes. Veja os vídeos

Cenas lamentáveis foram presenciadas e gravadas por populares na manhã desse sábado, 24, na cidade de Quixadá. No primeiro dia de vigência do decreto de lockdown imposto pelo prefeito Ricardo Silveira, como noticiamos ontem, trabalhadores ambulantes tiveram todo o seu material de trabalho apreendido por fiscais da prefeitura. Uma situação aterradora, tanto para quem presenciou o fato como para os trabalhadores que viram seu ganha pão ser sumariamente retirado por aquele que, há anos, reclamava da fiscalização na gestão passada e prometeu não fazer a mesma coisa, o atual prefeito da cidade. A fiscalização do município foi ágil em recolher os materiais dos ambulantes, mas não tem tanta pressa em certos comércios, cujos donos foram apoiadores explícitos do gestor na última campanha. O medo é que, assim como estava a cidade durante o lockdown estadual, a situação de fiscalização se repita agora, “caindo” sobre aqueles que são mais necessitados e fazendo vista grossa aos amigos.

Durante os últimos quatro anos, Ricardo Silveira e seu grupo político fizeram estardalhaço que a gestão do ex-prefeito Ilário Marques era ‘perseguidora’, simplesmente pela razão da Agencia de Fiscalização da cidade agira com independência e seguir a lei. Ricardo, em campanha, garantiu que não repetiria as práticas de seu opositor, e fez outras promessas mirabolantes, como suspender multas de trânsito. Palavras fáceis de ouvir e difíceis de cumprir. Hoje o povo recebeu o gosto da mentira contada. O prefeito, que é bolsonarista fervoroso, não agiu com o pulso que deveria, junto ao governador Camilo Santana, na luta por salvar vidas; na verdade, afrouxou o comércio na cidade, e agora corre contra o prejuízo, depois que unidades de saúde ficaram lotadas e os óbitos cresceram em Quixadá.

A maré de desemprego na terra dos monólitos assombra. O município, que tem sua economia voltada para os serviços, viu os universitários que movimentavam o comércio ir para suas casas durante a pandemia. Imóveis foram desocupados e não rendem mais alugueis a seus donos, bares e restaurantes sofrem. Percebe-se um aumento no número de pedintes na cidade, e outros tantos que vão para os semáforos. Muitos que perderam emprego tentam a vida de forma autônoma, como ambulantes, e hoje, sem devido aviso prévio, tiveram seu trabalho apreendido. A questão central é justamente da falta de aviso. O prefeito anunciou somente ontem o decreto, convidou representantes do CDL da cidade, mas não se dispôs a conversar com os ambulantes. Os vídeos a seguir são chocantes, e mostram os fiscais, trabalhadores públicos, tendo que fazer os mandos do prefeito Ricardo com outros trabalhadores necessitados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *