STJ afasta governador do Rio de Janeiro por suspeita igual opção na Saúde do Estado

O afastamento de Wilson Witzel do cargo de governador do Rioio de Janeiro, por suspeita de corrupção na Saúde do Estado, foi determinado nesta sexta-feira (28) pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

O afastamento é uma das decisões da Operação Tris in Idem (“Três do mesmo”, em latim), que já prendeu sete pessoas, entre elas, o Pastor Everaldo, presidente do PSC, e o ex-secretário Lucas Tristão.

O vice-governador, Cláudio Castro, que assume o cargo, é alvo de mandado de busca.

Witzel e outras oito pessoas, incluindo a primeira-dama Helena Witzel, também foram denunciados pela Procuradoria-Geral da República (PGR) por corrupção.

As diligências foram autorizadas pelo ministro Benedito Gonçalves. A PGR pediu a prisão de Witzel, mas o STJ negou.

A Polícia Federal investiga também o presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio, o petista, André Ceciliano. As investigações apuram um suposto desvios nos contratos emergenciais para o combate à covid-19. A defesa do governador do Rio se diz surpresa e “tomará as medidas cabíveis”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *